Saiba como perder peso. Abordamos o tema das dietas e dos exercícios físicos como forma de perder peso tendo por base o consumo de calorias para emagrecer. Dicas sobre a melhor forma de emagrecer, compilando informação relevante. Queimar calorias de modo sustentado, através de actividade física.


quinta-feira, 17 de março de 2011

Sobrepeso


SOBREPESO é reflexo de hábitos alimentares aprendidos em casa.

Um novo estudo feito pela Universidade de Alberta, no Canadá, aponta que esses factores devem ser acompanhados já na infância.

Entender os factores que influenciam a tendência para desenvolver o sobrepeso e a obesidade é alvo de diversas pesquisas no mundo todo.

Sobrepeso e obesidade são reflexos de hábitos alimentares aprendidos em casa. 

A pesquisa de Spence, publicada no periódico International Journal of Pediatric Obesity, acompanhou os hábitos alimentares de crianças entre 4 e 5 anos de idade e a relação desses hábitos com a variação do peso ao longo dos anos.

A equipe do pesquisador elegeu 1.730 crianças para o estudo (meninos e meninas em quantidades similares) e acompanhou esse grupo nos primeiros anos da idade escolar.

Crianças e pais foram entrevistados sobre diversos assuntos, incluindo hábitos alimentares (como preferências por certos alimentos) e condições de saúde.

Os resultados da pesquisa, que durou dois anos, também focou nas respostas emocionais quanto à comida (como alimentação excessiva ligada a stress), satisfação com a alimentação, sensibilidade à saciedade, ritmo na hora de comer (se comiam muito rápido ou devagar) e nível de actividade após uma refeição.

“Não é surpreendente que os resultados apontaram que crianças que descontam suas frustrações comendo excessivamente quando nervosas ou entediadas, têm uma maior tendência a desenvolver o sobrepeso em contraste com aquelas que comiam mais devagar ou que não ficavam muito atentas ao horário das refeições (um comportamento de evitação). Mas a questão é: o que faz essas crianças criarem esse tipo de resposta aos alimentos?”, pontua Spence.

“Nosso modelo sugere que o comportamento copiado ou reforçado pelos pais (como ganhar um doce por uma boa acção) induz as crianças a certas relações emocionais com a comida. Da mesma forma, a evitação alimentar também é algo que vem do ambiente familiar”, continua.

É preciso identificar como esses ambientes e relações influenciam os hábitos alimentares das crianças, dizem os pesquisadores. Factores como promoção (ou a falta) de actividades físicas, interacção com alimentos de forma a compensar ou punir certos comportamentos, e outros hábitos familiares podem se reflectir no desenvolvimento do sobrepeso.

“Será que há algo que possamos fazer para educar os pais?”, questiona Spence. “Se identificarmos e entendermos essas relações é possível criar programas de intervenção bastante efectivos.”

Os pesquisadores agora tentam ampliar o público observado e adicionar mais variáveis para serem observadas, além de tentar entender as interacções entre os dados analisados.

“Nas crianças que têm uma relação positiva com a comida (o que leva a um aumento do consumo alimentar) também observamos se há uma preferência pelas comidas ‘que são ruins para a saúde’ e qual o motivo dessas escolhas”, finaliza.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL